Mesmo com dificuldades, Evangelho se espalha em aldeias muçulmanas da Indonésia

  • 25/03/2020

Mesmo com dificuldades, Evangelho se espalha em aldeias muçulmanas da Indonésia

Pastores pentecostais de várias aldeias na selva dominada por muçulmanos na província da Sumatra, sul da Indonésia, relatam o crescimento da igreja apesar dos protestos locais, da pobreza e do ocultismo.

“Até recebi cem caixas de ladrilhos do chefe da vila para completar a igreja”, explica o pastor Frani Pondaag.

Sua congregação, na aldeia na selva de Temuan Jaya, é uma parte, pequena mas vibrante, da Igreja Pentecostal na Indonésia ou 'Gereja Pantekosta di Indonesia' (GPdI), uma denominação com três milhões de membros.

Chegar a esta igreja da vila exige uma viagem de duas horas do aeroporto mais próximo por pontes da era colonial holandesa e estradas estreitas.

A calma do lugar é interrompida por um alto-falante com o chamado ao meio-dia para a oração. “Estamos acostumados a essas orações muçulmanas em segundo plano. Mas cantamos nossas canções cristãs”, diz Pondaag, depois de subir em um coqueiro enorme para guarnecer as missões com frutas e leite de coco.

Pastor Frani Pondaag orando em sua congregação em março de 2020. (Foto: Stefan J. Bos/BosNewsLife)

O pastor admite que não é fácil começar uma igreja neste bairro fortemente muçulmano.

“Quando jovem, senti que Deus me chamou depois de me formar na Escola Bíblica na capital da província de Palembang. Eu sabia que Ele queria que eu alcançasse as pessoas para Cristo”, lembra Pondaag. No entanto, as pessoas não estavam na fila para se juntar à sua congregação. “Em 2002, comecei aqui com zero pessoas. Mais tarde descobri apenas quatro cristãos aqui.”

Mas Pondaag notou oposição de grupos muçulmanos locais. “E o antigo ocultismo observado por muitas pessoas está profundamente enraizado aqui nesta área. Isso afeta muitos. Mas toda sexta-feira, temos um dia de jejum e oração por eles”, explica.

Planos grandes

O pastor de 47 anos, casado e com três filhos, não desistiu. “O povo muçulmano viu os milagres acontecendo na igreja. Isso aconteceu depois que comecei a orar pelos enfermos, e Deus os curou. Como resultado, essas pessoas pediram que outras pessoas viessem a essa igreja, independentemente de sua formação religiosa. É simples assim."

Ele agora possui uma congregação com dezenas de membros regulares e tem grandes planos para o futuro. "Até o chefe da vila está me ajudando a construir nossa Igreja agora", diz ele, mostrando caixas de azulejos perto da porta de entrada.

O entusiasta ministro pentecostal frequentemente acrescenta “aleluia” às suas sentenças. “Eu acredito que Deus nos abençoa aqui. A maioria das pessoas na minha igreja são ex-muçulmanos”, conta.

É uma situação semelhante em outras aldeias onde muitos moradores muçulmanos se voltam para a fé em Cristo, estabeleceu a BosNewsLife. Os pastores dizem que pelo menos alguns muçulmanos se tornaram cristãos depois de assistirem como as pessoas foram curadas da "posse de demônios", cegueira e outras doenças.

A igreja de Pondaag também ajudou a organizar arriscadas "cruzadas" evangelísticas, termo usado nesta região para campanhas ao ar livre.

"Cerca de 90% das pessoas que vieram eram não crentes". O pastor Pondaag estava entre os vários líderes da igreja e crentes que se reuniram no BosNewsLife este mês como parte de uma investigação sobre a disseminação do cristianismo na Indonésia, a maior nação muçulmana do mundo.

Rios do batismo

Depois de falar com um repórter da BosNewsLife, ele e pastores da área participam de um culto feliz na congregação GPdI de Pondaag. Vários viajaram por horas para chegar à igreja.

Durante a reunião de adoração, esses líderes fiéis e outros crentes são incentivados a permanecer comprometidos com Cristo, apesar da agitação espiritual e física ao seu redor. Entre os participantes de uma equipe evangelística liderada pelo evangelista indonésio Ferry Mamangkey, que viajava na selva há muito tempo. O homem de 63 anos, de fala mansa e muitas vezes sorridente, liderou o grupo ou ministério 'Elshaddai', apoiado pelo GPdI.

Mamangkey está orando com muitas pessoas que se aproximam após um chamado do altar na igreja lotada. Ele faz isso há décadas em toda a Indonésia. “Muitos se voltam para Cristo, temos que encontrar rios para batizá-los. Eu vi que durante uma cruzada, Deus está operando poderosamente. Após o primeiro dia, as pessoas compartilharão seu testemunho. No dia seguinte, muito mais pessoas, às vezes milhares, estão chegando”, ele diz à BosNewsLife.

O evangelista Ferry Momangkey após as atividades de evangelismo este mês no sul de Sumatra. (Foto: Stefan J. Bos/BosNewsLife)

Mamangkey e outros também afirmam que muitas pessoas "possuídas por demônios" ou que sofrem de cegueira ou outras doenças foram "curadas". E as autoridades da Igreja observam em particular que centenas de milhares de muçulmanos estão se voltando para Cristo em todo o país anualmente.

Muitos dos novos conversos ouviram o Evangelho nas áreas rurais desta nação de muitas ilhas. Alguns que se parecem com muçulmanos, agora pregam em suas aldeias locais, de acordo com evangelistas e pastores.

O evangelista Mamangkey sugere que ele está colhendo as sementes plantadas pelos líderes da igreja local, como o pastor Adrianus Zalogo, que tem 35 anos. Zalogo chegou com sua jovem esposa e dois filhos há alguns anos na aldeia empobrecida de Karya Teladan. “Começamos com três pessoas. Mas com eles, podemos construir isso”, diz ele sobre sua pequena igreja em um barraco.

Deus abriu o caminho

Algumas palmeiras protegem contra o calor alto. Galinhas a pé nas proximidades. "Conseguimos esse terreno", explica ele, visivelmente agradecido. “Mas queremos ter uma igreja maior e melhor um dia. Agora, temos 11 pessoas que vêm aqui regularmente, mas começamos com três.”

Enquanto outros da sua idade podem deixar a vila, o jovem missionário quer ficar. "Acredito que, como Deus já abriu o caminho, Ele nos ajudará a ver mais pessoas vindo à igreja."

Sua esposa de 31 anos, Elisabeth Tri Utami, o apoia nessa missão. "Também estou ajudando meu marido a adorar e orar, e visito os membros da igreja onde eles precisam", conta.

A jovem nota muitas dificuldades entre os moradores. “Precisamos de arroz, por exemplo, e outras necessidades. Há muita pobreza aqui. A maioria das pessoas aqui está empobrecida”, ela diz, enquanto segura um bebê.

O jovem casal acompanhado pelo Pr. Lumenta, o secretário-geral do GPdI em frente a sua pequena casa e igreja na aldeia na selva Karya Teladan no início deste mês. (Foto: Stefan J. Bos/BosNewsLife)

“Não é fácil falar sobre o evangelho nessas circunstâncias. Às vezes nos sentimos isolados. E essas pessoas não nos respeitam muito, e há protestos. Mas eu sei que Deus nos colocou aqui. Às vezes nos sentimos desconfortáveis, mas há alegria por trás dessas dificuldades”, relata o pastor.

O trabalho da jovem família não se limita aos cultos da igreja. “Além de conduzir as reuniões da igreja, também estamos envolvidos em todas as atividades desta vila, desde ajuda social a esportes”, explica Elisabeth Tri Utami.

O marido dela diz que percebe que eles são uma família jovem e poderiam ter uma vida diferente. “É um mistério para quem está de fora. Mas estamos prontos para carregar a cruz por Cristo. E estamos convencidos de que veremos mais pessoas para Cristo.”

FONTE: http://guiame.com.br/gospel/missoes-acao-social/mesmo-com-dificuldades-evangelho-se-espalha-em-aldeias-muculmanas-da-indonesia.html

Aplicativos


Locutor no Ar

AutoDJ

Piloto Automático

Peça Sua Música

No momento todos os nossos apresentadores estão offline, tente novamente mais tarde, obrigado!

Top 5

top1
1. Anderson Freire

Raridade

top2
2. Bruna Karla

Advogado Fiel

top3
3. Aline Barros

Casa do pai

top4
4. Anderson Freire

Acalma o meu coração

top5
5. Aline Barros

Ressuscita-me

Anunciantes